seta
Prognum Informática

Informações relevantes do mercado do Crédito Imobiliário

Notícias - Maio de 2021

SIG tem ganho de produtividade no cálculo de quitação na versão 9.19 do SCCI Corp

Uma série de implementações garante ainda mais produtividade para o sistema da Prognum Informática

Produtividade. A Prognum Informática tem investido muito esforço e recursos neste conceito, em busca de ferramentas cada vez mais ágeis, automatizadas e eficazes. A versão 9.19 do SCCI Corp - Sistema de Controle de Crédito Imobiliário, com distribuição em 5 de maio, traz novidades neste sentido. A principal delas é a otimização do processo de implantação de contratos da base de simulação para a base principal quando o contrato é novo. "Há um ganho real de produtividade, porque será possível implantar mais contratos em menos tempo", garante Marcus Marques da Rocha, Diretor Técnico da Prognum Informática. Testes preliminares realizados pela empresa apontaram uma redução de 44 minutos para 2 minutos na importação de 1 mil contratos.

A empresa também está iniciando um amplo trabalho para oferecer ganho de performance para o SIG - Sistema de Informações Gerenciais, e, nesta versão, já apresenta melhorias de produtividade no cálculo de quitação. Em testes realizados internamente, a redução de tempo foi de até 50%.

"É claro que este resultado depende de vários fatores e não será o mesmo para todos os nossos clientes. Mas é evidente o aumento de performance no cálculo de quitação, uma das informações mais buscadas no SIG. Nos próximos meses teremos mais novidades sobre a performance deste módulo. A otimização do cálculo de quitação é apenas o início desse processo", garante Kleber Pereira, Coordenador de Análise de Requisitos da Prognum Informática.

Outra importante implementação da versão 9.19 do SCCI Corp refere-se à inserção de uma nova tabela que exclui a possibilidade de lançamento de históricos de alteração não roteirizados. O objetivo é permitir ao usuário utilizar somente as alterações para as quais exista roteirização contábil predefinida. "Essa implementação objetiva evitar problemas na conciliação contábil, uma vez que o sistema só permitirá o cadastro de uma determinada operação caso ela esteja previamente roteirizada", informa Kleber.

O Módulo de Produção também traz novidades. Ele conta com um editor próprio das fases de execução das rotinas de produção, o que permite inclusões, exclusões e alterações. A partir desta versão, é permitida a procura por palavras, com substituição automática. "Temos rotinas com 200 ou 300 linhas. Quando o usuário precisava trocar uma palavra por outra, esse trabalho era feito manualmente. Ele precisava revisar o texto e fazer as substituições, uma a uma. Agora, ele fará a pesquisa e a troca da palavra automaticamente. Isso traz muito mais produtividade e, o que é muito importante, minimiza erros. Aproveitamos e ajustamos também a tela de edição das fases da produção, permitindo uma melhor e mais clara visualização", ressalta Kleber.

Uma implementação no Módulo de Importação e Exportação é mais um dos destaques da nova versão. Este módulo permite que o sistema realize alterações por lote de contratos. na versão 9.19, além de efetuar alterações por lote, é possível reevoluir os contratos alterados. "Digamos que o usuário queira alterar a taxa de juros de um conjunto de contratos, de forma retroativa. É preciso recalcular a prestação a partir de uma determinada data. O Módulo de Importação e Exportação não só promove a alteração da taxa nos contratos selecionados, como também efetua a reevolução de saldo e prestação. O ganho de produtividade é enorme", finaliza o Coordenador.

Publicado em 03/05/2021

Daycoval, 46º cliente da Prognum Informática

Banco, com matriz em São Paulo e presença em 21 estados, mais o Distrito Federal, contratou o SCCI Corp para fazer a gestão de sua carteira de crédito imobiliário

Instituição financeira especializada em crédito para empresas, crédito para pessoa física (pessoal, consignado e financiamento de veículos), produtos de câmbio (comércio exterior e turismo) e investimentos, com 53 anos de história, o Banco Daycoval é o mais novo cliente da Prognum Informática. Em sua estrutura, a companhia possui centenas de pontos de atendimento distribuídos por 21 Estados mais o Distrito Federal. O Banco também atua por meio de parcerias com operadoras e agências de turismo. O Daycoval é o 46º cliente da Prognum Informática, e utilizará o SCCI Corp para fazer a gestão de sua carteira.

Publicado em 03/05/2021

Crédito imobiliário cresceu 172,7% em março, se comparado ao mesmo mês do ano passado

Segundo a Abecip, o crédito imobiliário com recursos das cadernetas de poupança no Brasil somou R$ 18,35 bilhões em março

Em março, os financiamentos imobiliários com recursos das cadernetas do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE) chegaram a R$ 18,35 bilhões. Trata-se, segundo a Associação Brasileira de Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip), do maior volume nominal mensal registrado na série histórica iniciada em 1994. "O montante foi 47,4% superior ao registrado em fevereiro e, comparado com março do ano passado (R$ 6,73 bilhões), observou-se crescimento de 172,7%. No primeiro trimestre de 2021, o montante financiado somou R$ 43,09 bilhões, alta de 112,8% em relação a igual período do ano passado. No acumulado de 12 meses, entre abril de 2020 e março de 2021, o montante financiado somou R$ 146,81 bilhões, alta de 76,1% em relação ao período anterior. Foram financiados em fevereiro de 2021, nas modalidades de aquisição e construção, 81,9 mil imóveis, resultado 61,8% maior que o de fevereiro. Comparado a março de 2020, observou-se alta de 219,4%, mas neste caso não se pode ignorar os primeiros efeitos da pandemia do coronavírus. Nos primeiros três meses de 2021 foram financiados, com recursos da poupança do SBPE, 187,6 mil imóveis, resultado 137,3% superior ao do primeiro trimestre de 2020. E em 12 meses, entre abril de 2020 e março de 2021, foram financiados com recursos da poupança 535,3 mil imóveis, resultado 70,8% superior ao do período precedente (313,4 mil unidades)", informou a Abecip, por meio de nota.

Publicado em 03/05/2021

Mercado imobiliário registra recorde nos lançamentos e unidades comercializadas em 2020

Segundo indicador da Abrainc e Fipe, as vendas cresceram 26,1% e os lançamentos 1,1%

O Indicador de Vendas da Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc) e da Fipe mostra que o setor cresceu em plena crise da pandemia do novo coronavírus. De acordo com um levantamento feito pelas entidades, em 2020 o mercado imobiliário registrou recorde nos lançamentos e unidades comercializadas, com alta de 26,1% nas vendas e 1,1% nos lançamentos. Tais resultados são os maiores desde 2014. O destaque ficou por conta dos empreendimentos de linhas econômicas, que representaram 77,8% das vendas residenciais das incorporadoras em 2020 – volume maior do que o registrado em 2019, quando a participação foi de 70,2%.

Publicado em 03/05/2021

Financiamentos para a casa própria alcançam a marca de R$ 12,45 bilhões em fevereiro

De acordo com a Abecip, resultado representa um recorde nominal para um mês de fevereiro

A Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip) informou que os financiamentos imobiliários com recursos das cadernetas do Sistema Brasileiro de Poupança e Em-préstimo (SBPE) alcançaram a marca de R$ 12,45 bilhões em fevereiro de 2021. De acordo com a entidade, trata-se de um recorde nominal para um mês de fevereiro na série histórica iniciada em 1994. "O montante superou em 1,3% o registrado em janeiro e quase dobrou na comparação com fevereiro de 2020 (R$ 6,38 bilhões), exibindo crescimento de 95,3%. No primeiro bimestre de 2021, o montante financiado somou R$ 24,74 bilhões, alta de 83% em relação ao mesmo período do ano passado. No acumulado de 12 meses, entre março de 2020 e fevereiro de 2021, o montante financi-ado somou R$ 135,19 bilhões, alta de 64,4% em relação ao período imediatamente anterior. Foram financiados em fevereiro de 2021, nas modalidades de aquisição e construção, 50,6 mil imóveis, resultado 8% menor que o do mês anterior. Comparado a fevereiro de 2020, observou-se alta de 98,4%. No primeiro bimestre de 2021 foram financiados, com recursos da poupança SBPE, 105,69 mil imóveis, resultado 97,8% superior ao de igual período de 2020. Nos últimos 12 meses encerrados em fevereiro de 2021 foram financiados com recursos da poupança 479,04 mil imóveis, resultado 53,7% superior ao do período precedente (311,60 mil unidades)", informou a Abecip, por meio de nota.

Publicado em 03/05/2021

Caixa: 28,9 bilhões para financiamento imobiliário no 1º trimestre de 2021

Segundo o banco, montante é 35% superior ao concedido no mesmo período do ano passado

No primeiro trimestre de 2021 a Caixa Econômica Federal concedeu R$ 28,9 bilhões em empréstimos imobiliários, assinando 134,8 mil novos contratos. Segundo o próprio banco, esse montante é 35,5% superior ao concedido no mesmo período de 2020. Os financiamentos imobiliários com recursos das cadernetas do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE) alcançaram R$ 16,1 bilhões, com um crescimento de 103,1% em relação ao primeiro trimestre de 2020. Em março, R$ 7,2 bilhões foram concedidos, o que significa uma alta de 146,5% frente a março do ano passado.

De acordo com a Caixa, a partir do acumulado de janeiro a março sua carteira habitacional chegou a R$ 514,1 bilhões, com 5,6 milhões de contratos. Hoje, a instituição é dona de 68,5% do mercado de financiamento imobiliário do país. Com relação ao segmento pessoa jurídica, a Caixa anunciou que neste primeiro trimestre do ano financiou a construção de 562 empreendimentos, o que representa um volume 48% maior do que o registrado no mesmo período do ano passado.

Publicado em 03/05/2021

QuintoAndar fecha dez novos contratos de venda de imóveis por dia

Nos últimos oito meses, as vendas diárias de imóveis pela plataforma cresceram 21 vezes, afirma a startup

Unicórnio do mercado imobiliário, a QuintoAndar tem obtido bons resultados com a venda de imóveis, o que passou a fazer no ano passado. De janeiro de 2020 até março deste ano a startup já intermediou a venda de mais de 2 mil imóveis nas cidades do Rio de Janeiro e de São Paulo. Segundo a QuintoAndar, a maior parte das vendas foi registrada nos últimos seis meses. No momento, são fechados dez novos contratos por dia.

“Superamos todas as expectativas no ano passado, mesmo com a pandemia, o que nos dá segurança para acelerar ainda mais neste ano. O segmento de vendas é um dos nossos principais pilares estratégicos para este ano, e estamos trabalhando para aprimorar ainda mais nosso serviço e dar a melhor experiência para os nossos clientes”, afirmou o Head de Compra e Venda do QuintoAndar, Arthur Malcon. Segundo a startup, nos últimos oito meses as vendas diárias de imóveis pela plataforma cresceram mais de 21 vezes (2000%). A QuintoAndar contabiliza mais de 50 milhões de buscas por imóveis à venda na plataforma. O tempo médio de venda pela startup é de cerca de 50 dias.

Publicado em 03/05/2021

Fabricantes de materiais de construção tiveram um faturamento 15,6% maior no primeiro trimestre do ano, se comparado ao valor apurado no mesmo período de 2020

Abramat acredita que o setor crescerá 5% em 2021

Um levantamento da Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção (Abramat) e da Fundação Getúlio Vargas (FGV) revela que neste primeiro trimestre do ano, em comparação com o mesmo período de 2020, o faturamento dos fabricantes de materiais de construção teve crescimento real de 15,6%. A alta é justificada, principalmente, pelas compras de consumidores finais para reformas e pela comercialização direta para as construtoras.

A Abramat considerou o resultado "bastante animador" e começa a acreditar que o setor poderá crescer 5% em 2021. A FGV revisará, em julho, a previsão de expansão do setor para este ano, até o momento calculada em 4%. “A sinalização é que a estimativa será revisada para cima se não houver grandes sobressaltos no ambiente externo”, garantiu o Presidente da Abramat, Rodrigo Navarro. Segundo ele, o segmento está operando com mais de 80% da sua capacidade instalada, ante 65% na pré-pandemia.

Publicado em 03/05/2021

Agehab-Goiás anuncia a contratação de 4.450 novas moradias

Unidades serão construídas em dez regiões do estado

A Agência Goiana de Habitação (Agehab-Goiás) abriu licitação, na modalidade Registro de Preço, para a contratação de empresas do ramo da construção civil para construção de 4.450 moradias de interesse social nas dez regiões de planejamento do Estado. Por determinação do Governador de Goiás, Ronaldo Caiado, os recursos para a construção dessas moradias serão disponibilizados pelo Fundo Protege, vinculado à Secretaria da Economia do Governo do Estado.

A Agehab-Goiás firmará parceria com os municípios que doarem os lotes urbanizados e regularizados para os empreendimentos, com possibilidade de construção de 30 a 50 unidades por contrato. Segundo a agência, as construtoras terão prazo de 120 dias para a construção de até 50 unidades habitacionais, contados a partir do recebimento da ordem de serviço. Será executado o projeto padrão de casas da Agehab. O valor referencial por unidade é de R$ 85.560,22. A previsão é que as primeiras moradias sejam entregues no segundo semestre deste ano.

Publicado em 03/05/2021

Londrina assina primeiro contrato do bairro planejado Bem Viver

Empreendimento, localizado no norte da cidade, oferecerá 866 novas moradias

A prefeitura de Londrina formalizou a assinatura do primeiro contrato de financiamento referente ao bairro planejado Bem Viver, no norte da cidade, que oferecerá 866 novas moradias. Segundo a Companhia de Habitação de Londrina, o investimento total é de R$ 115 milhões, viabilizado pelo programa Casa Fácil Paraná, do Governo Estadual.

Segundo o Prefeito Marcelo Belinati, a construção das 866 casas vai gerar emprego e renda para a cidade. “Essa é uma notícia fantástica para Londrina, que ganha um empreendimento de grande dimensão. Centenas de famílias terão sua moradia própria, em um bairro novo planejado, pagando prestação menor que o valor de um aluguel. A construção permitirá criar algo perto de 2.500 empregos diretos e indiretos. E o investimento de R$ 115 milhões movimentará toda a economia da cidade. Mais importante que tudo isso é o caráter social deste projeto, com famílias realizando seu sonho. Mesmo com a pandemia, Londrina demonstra bons sinais de desenvolvimento”, disse ele.

O Presidente da Cohab Londrina, Luiz Cândido de Oliveira, afirmou que este empreendimento contribui com o desenvolvimento da região norte de Londrina, abrindo oportunidade para muitas famílias de baixa renda adquirirem sua casa. “Só há benefícios com a criação desse novo bairro, que ajudará a expandir a região norte, trazer investimentos em um local que ganhará infraestrutura completa para a implantação deste residencial. Todo mundo envolvido está de parabéns por permitir que este projeto seja desenvolvido aqui, facilitando a vida de tantas pessoas”, comentou.

Localizado na Avenida Bento Amaral Monteiro com Rua Silvério Plagia, na Gleba Jacutinga, na região norte, em área que conta com supermercados, unidades de saúde e escolas próximas, o empreendimento conta com ruas pavimentadas, sistema de galerias de água e esgoto, iluminação pública, energia elétrica, acessibilidade, sinalização viária, ciclovia e arborização. Também serão oferecidos espaços para atividades físicas e lazer, incluindo academia ao ar livre, pista de patins e parquinho infantil, entre outros.

Segundo a Cohab Londrina, o Bem Viver Londrina será composto por terrenos com área de 160 m², sendo 46,27 m² de área construída. Cada casa contará com sala integrada, dois quartos, cozinha e um banheiro. As unidades não serão geminadas, o que permitirá ao proprietário expandir seu imóvel futuramente. Os interessados podem receber um subsídio de até R$ 36 mil por meio do programa Casa Verde e Amarela, do Governo Federal. O valor de entrada do imóvel pode ser parcelado em até 60 vezes direto com a construtora, com financiamento do restante em até 360 meses, com a possibilidade de uso do saldo do FGTS.

Publicado em 03/05/2021

Nação BRB Fla, banco digital do BRB, já conta com 300 mil contas abertas

Presente em 33 países e em 74% dos municípios do Brasil, o banco tem apenas nove meses de lançamento

Fruto de uma parceria estratégica entre o BRB e o Flamengo, o banco digital Nação BRB FLA alcançou, em abril, a marca de 300 mil contas abertas. Segundo o BRB, a conquista foi alcançada em apenas nove meses de lançamento. “Os números do Nação BRB FLA refletem o sucesso da parceria. Apenas no mês de março foram abertas 108 mil novas contas. Já foram comercializados mais de 140 mil cartões de crédito, sendo 57 mil apenas no mês passado”, disse o Presidente do BRB, Paulo Henrique Costa.

Embora tenha apenas nove meses de vida, o Nação BRB FLA já está presente em 33 países, em 74% dos municípios brasileiros e em absolutamente todos os municípios do país com mais de 40 mil habitantes. De acordo com o BRB, "o banco digital oferece uma série de produtos e serviços de crédito e investimento disponíveis – BRB Parcelado, cheque especial e aplicações por meio da plataforma de investimentos exclusiva, lançada há menos de um mês, em parceria com a Genial. Estão disponíveis mais de 280 opções diferentes de investimento, além de Home Broker para operar diretamente no mercado de ações". Também dispõe de seguros para acidentes pessoais, com descontos em medicamentos e orientação médica por videochamada, 24h por dia.

“A nação rubro-negra é fantástica. Mal celebramos as 200 mil contas no nosso Banco Nação BRB Fla, agora acabamos de chegar às 300 mil. Este trabalho é muito importante para fortalecer ainda mais o nosso clube. Por isso, pedimos a todos os rubro-negros que puderem para abrirem uma conta no banco do Flamengo”, completou Gustavo Oliveira, Vice-Presidente de Comunicação e Marketing do clube. Mais informações do banco digital do BRB podem ser obtidas em nacaobrbfla.brb.com.br, nas redes sociais e pela central 4000-1915 ou 0800 001 4090.

Publicado em 03/05/2021

Cohapar entregará empreendimento com 60 casas em Maripá, em outubro de 2021

Segundo a companhia, estão sendo investidos R$ 4,8 milhões, por meio do Programa Casa Fácil Paraná

O Governo do Paraná anunciou que entregará, em outubro de 2021, o Residencial Maripá I, com 60 casas. O empreendimento fica localizado no município paranaense de mesmo nome e custará R$ 4,8 milhões, investidos por meio do programa Casa Fácil Paraná. As inscrições para financiamento já foram abertas pela Companhia de Habitação do Paraná (Cohapar) em cohapar.pr.gov.br/cadastro.

De acordo com a Cohapar, neste momento 7% do cronograma da obra está concluído. O empreendimento contará com unidades com 43 m² e 50 m², neste caso adaptadas para pessoas com deficiência. Todas as casas terão dois quartos, sala, cozinha, banheiro e área de serviço externa, em lotes que permitem ampliações futuras pelos proprietários. Trata-se do primeiro empreendimento habitacional que Maripá receberá em quase dez anos.

- Estávamos há anos sem nenhum investimento na área habitacional. É um investimento grandioso por parte do Governo do Estado, que vai possibilitar a realização do sonho da casa própria para 60 famílias - pontuou o Prefeito da cidade, Rodrigo Schanoski.

Publicado em 03/05/2021

Senado aprova atualização do valor de imóveis na declaração do Imposto de Renda

Para isso, o contribuinte teria que pagar uma taxa de 3% sobre o valor reajustado

O Senado aprovou, em 15 de abril, um projeto de lei que permite a atualização do valor de imóveis e outros bens na declaração do Imposto de Renda. Para isso, o contribuinte deverá pagar uma taxa de 3%, o que, na prática, significaria uma antecipação de arrecadação para o governo. O texto ainda será analisado pela Câmara dos Deputados, mas enfrenta algumas resistências por parte do governo, contrário a alguns pontos da proposta.

Se sancionado como está, o projeto de lei seria vantajoso para aqueles que estão interessados em se desfazer de seus bens. Hoje, o governo taxa o lucro obtido com a operação (o chamado ganho de capital) em 15% a 22,5%. Como não é possível atualizar o valor do imóvel, a tributação é desvantajosa quando o imóvel apresenta valorização. Uma pessoa que comprou há 20 anos um apartamento por R$ 100 mil e pretende vendê-lo, hoje, por R$ 1 milhão, está sujeito a pagar um imposto sobre a diferença de R$ 900 mil. Nesse caso, o leão ficaria com R$ 135 mil. Se a atualização do valor do imóvel for aprovada, esse contribuinte gastaria apenas R$ 27 mil reais (3% da diferença), uma economia de R$ 108 mil.

O PL permite que o valor pago para atualização seja parcelado em até 60 meses, mas neste caso as parcelas não podem ser inferiores a R$ 1 mil. Apenas bens comprados até 31 de dezembro de 2020 poderiam ser beneficiados. Se aprovado, permitirá, também, a regularização de bens não declarados à Receita Federal: propriedades adquiridas de forma lícita, mas não informadas ao fisco, poderão ser incluídas com pagamento de 15% do valor do bem declarado. O parcelamento em até 60 vezes também será permitido nesses casos.

A Receita Federal já anunciou que não aceita uma alíquota de 3%, defendendo algo em torno de 4%, e também reclamou do prazo de parcelamento, que considerou muito longo. O governo se mostrou totalmente contrário à regularização proposta pelo PL. "O governo é contra todo o capítulo da regularização. Mas, se a regularização vier a ser introduzida, seria importante a aposição de uma multa para que aqueles que optarem pela regularização possam, portanto, pagar uma multa a ser definida", defendeu o líder do Governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE).

Publicado em 03/05/2021

Incorporadoras apresentam crescimento nas vendas de 49,3% no primeiro trimestre do ano

Tenda e a Moura Dubeux anunciaram que este foi o melhor primeiro trimestre de suas histórias na venda de imóveis

Mesmo diante da piora do cenário macroeconômico, da elevação da taxa básica de juros Selic em 0,75 ponto percentual e do baixo ritmo de vacinação no país, a venda de imóveis residenciais está aquecida. De acordo com uma reportagem produzida pelo jornal Valor Econômico, toda as incorporadoras que já anunciaram suas prévias operacionais apresentaram crescimento nas vendas no primeiro trimestre do ano, se comparado com o mesmo período de 2020. A expansão é de 49,3%.

O Valor Econômico se baseou nos dados operacionais divulgados por 13 empresas: Cury Construtora e Incorporadora, Cyrela, Direcional Engenharia, Even Construtora e Incorporadora, JHSF, Lavvi, Melnick Even, Mitre Realty, Moura Dubeux, MRV, Plano&Plano, RNI Negócios Imobiliários e Tenda. Apenas a MRV não registrou crescimento na venda de imóveis novos. Vale ressaltar que, por conta das medidas restritivas de circulação, com fechamento de estandes de vendas em vários municípios, muitas incorporadoras adiaram lançamentos que estavam previstos para março. Mesmo assim, o VGV consolidado desse grupo de incorporadoras cresceu 96,5%.

As incorporadoras Cury, Direcional e Plano&Plano alcançaram recordes trimestrais de comercialização, enquanto a Tenda e a Moura Dubeux anunciaram que este foi o melhor primeiro trimestre de suas histórias na venda de imóveis. Já a MRV apresentou queda de 3,2% nas vendas líquidas. Segundo seu Copresidente, Rafael Menin, o motivo é que a empresa voltou a acelerar o processo de venda garantida, em que a comercialização só é registrada quando o recebível do cliente é repassado para a Caixa Econômica Federal. “Em janeiro, os repasses foram muito ruins. Em março, vendemos mais do que em fevereiro, quando tínhamos comercializado mais do que em janeiro. As vendas de abril estão semelhantes às de março”, anunciou o executivo.

A Tenda anunciou ter alcançado recordes de lançamentos, vendas brutas e vendas líquidas para um primeiro trimestre. Os lançamentos cresceram 268,6%, as vendas brutas 50,2% e as líquidas 60,1%. Já o preço médio por unidade subiu 3%, com aumento em todas as regiões metropolitanas onde a companhia atua. Já a rede de franqueados da Remax Brasil registrou, de janeiro a março, o melhor trimestre de sua história. Segundo a rede, o VGV comercializado cresceu 129%, as unidades em operação cresceram 25% e o número de corretores aumentou em 35%, chegando, hoje, a 6.096 profissionais.

Publicado em 03/05/2021

Cohab Curitiba reassentará famílias que vivem na Vila Palmeiras, ocupação irregular localizada no Tatuquara

Segundo a companhia, serão beneficiadas 141 famílias, das quais 28 com transferência para novas moradias

A Companhia de Habitação Popular de Curitiba anunciou que já tem pronto um projeto de trabalho social e um plano de ação para reassentamento das famílias que vivem na Vila Palmeiras, uma ocupação irregular surgida em meados dos anos 80, no Tatuquara. A companhia prevê beneficiar 141 famílias, sendo 113 com regularização fundiária e 28 com a transferência para novas moradias.

Segundo a Cohab Curitiba, os projetos de trabalho social e planos de ação para reassentamento são documentos obrigatórios para aprovação de recursos oriundos do governo federal ou de organismos financeiros internacionais. O projeto de urbanização da Vila Palmeiras - informou a entidade - foi selecionado pelo Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) para receber R$ 6,04 milhões (recursos do programa Pró-Moradia), enquanto a prefeitura entrará com a contrapartida de R$ 1,42 milhão.

“Habitação de qualidade vai além da construção de novas moradias, significa ter acesso a saneamento básico, mobilidade urbana, sustentabilidade, responsabilidade ambiental e equipamentos públicos. Para tanto, nossa equipe está empenhada em desenvolver projetos sociais que busquem a garantia desses direitos”, disse o Presidente da Cohab Curitiba, José Lupion Neto. Segundo ele, durante a gestão do Prefeito Rafael Greca já foram elaborados 22 projetos de trabalho social, que somados às propostas de intervenção física, possibilitam a busca de recursos para intervenções que transformem a realidade dos moradores.

Publicado em 03/05/2021

Cadastre-se e receba noticias no seu email
Nome*: Email*: Empresa:
* campos de preenchimento obrigatório
voltar